dimanche 2 décembre 2012

You are not depressed, you are distracted

At the same time as a bomb explodes and kills 10 people, millions of people are kissing and hugging. It's just one person that made the noise, it's not the whole world. We cannot hear the sound of kisses and hugs, but they are stronger than any tragedy. Just because the news tries to vulgarize death, doesn't mean that it will not be sacred anymore.

Drugs are a cancer inside a family

The most impressive about drugs is how equal is the behaviour between the people that took it. The most common is people start to taking them with friends, thinking that it's cool, or just to hide a pain that they feel inside. In youth people think that they have the best friends in the world and they will last forever. There is nothing more common than to think that we are different from the rest of the world. The truth is that we are not different. We can gather people by tastes and reactions. But since a human being personality is a universe, it's difficult to find two persons that are look-a-likes from inside. What can make us feel that we are different is what we can make with our life.

People come and go, and there's nothing we can do about. The force that makes people living is love. If we lack love, our heart stops, our brain stalls, and we start to feel detached from the closed ones.

The friends that we had in youth, most of them are gone, but not the pain in continuing taking drugs. What someone used to think that it was cool to take drugs in youth, now they carry on taking drugs to try to have a normal life. And that's the moment when they are inside a one-way fast-lane to hell difficult to get out.

People are a garden of action-reaction attitudes. If we seed evil, we will crop more evil to plant again. The same is true for love, sadness and happiness. To those that are victims of a dreadful past and became evil persons, forget that the consequences of their actions in the present disregard the past. To those that are victims of wrong doers, want justice in their life. But how can we make justice to someone that is a victim of a drug user or dealer? How can we make justice to someone that become a drug addict, or have HIV now because of a supposed friend or boyfriend?

Conclusions

Everybody has it own limits in the personality, and it's very difficult to explore them. Our life is full of people and it's a never ending history. My limits end in my opinion like in this text, and I'm not forced to understand the whole world. I titled this text as "Drugs are a cancer inside a family", but they aren't the only cancer. I'm not immune to be a victim. I'm sympathetic to all victims of this misfortune, and I just hope that they can find love again.

mercredi 21 novembre 2012


It's someone who shines a spotlight on the timeless corners of the "common record", the ones that are perhaps obscured from view, or forgotten, or poorly understood, making them timely again by contextualising them and linking them to ideas and issues of present urgency, correlating and interpreting.
It's this transmutation of information into practical wisdom about how the world works, and moral wisdom about how the world ought to work that sets the human apart from the algorithm - and from the computer.

mercredi 7 novembre 2012

If you don't fight for your future, you have to accept the future that others put in front of you.
Life is so huge that you can't hold it in your hands,
it's a boat without an engine hovering a waterfall,
it's being in the front line with you chest open for bullets,
that's so real that you cannot handle it.

And suddenly it ends, like someone cut the thread.

mercredi 31 octobre 2012

Falling

I sense butterflies in your stomach
jumping around like a crazy old woman,
she thinks I'm crazy, but I'm more,
too much in my head is not good.

Then she ate gummy bears and said,
"You're very special, and from that,
I'm flattered and I want you",
and from this moment it was like that.

And she talks, she dances,
she twirls, and she laughs,
and I breath, and I think to me,
that I cannot understand it.

Tomatoes and craziness hanging over you,
she taps the music with her feet,
crickets crick in my ears, and whisper,
"Yes, let it come, let them free."

"You project in me beams of emotions,
conquering like there's no time,
you're the only chance that I have.",
and she finished, "You're mine, all mine."

Universes melding

Old instincts are awakening,
waves vapour into steam,
set of volcanos erupting,
new land is being built.

Be a mountain, I command!
Be useful to flowers grow.
We don't set the time to start,
we don't know how it ends.

Harsh ashes and acid smell
is getting out of my pours,
I feel the colors disappearing.

Gasps from your metallic voice,
uttering wild aluminium screams,
bending until something got to give.

I feel you in my heart,
you say you feel me from inside,
these two worlds must collide.

lundi 22 octobre 2012

Sentado à espera

Um coração grande bate à porta,
com um olhar inocente para a vida,
uma esperança regada de amor,
apenas quer um abraço e comida.

Sentado nos degraus da porta,
à espera que chegue o pedido,
que lhe leve para ao pé da vida,
o que no passado se tinha perdido.

mardi 16 octobre 2012

Neste tempo cada vez mais seco, apenas me resta sobreviver e não quebrar, assim como tu, Varatojo.

dimanche 14 octobre 2012

Is this love, or the need to be with someone that you love?

People fall in love sometimes, and some other times are heartbroken. When someone lost the love of his life, starts to question  everything about the next pretender. Do I really like her? Do I like her because I don't want to be alone? And if she likes me, will she ever leaves me?

When our brain starts to think, normally it doesn't help us. We end up with more questions than we had when started. Our body freeze, we start to fear and get anxious. The purity of an impetuous feeling is polluted by the rationalization of feelings. I wish I could sweep the Autumn leaves from the path easily, and predict the future, but this feeling will endure forever and and the passage must be cleared by both.

lundi 1 octobre 2012

O jornal Público tem apresentado algumas notícias ao qual os títulos são de uma imaginação incalculável. A veia verborréica anda a passear pela redondezas das instalações do jornal. Por exemplo, vejamos este título extremamente compreensível - "Série Mar Português: Portugal x 41 = Índia". Ou seja, se multiplicarmos a palavra Portugal 41 vezes, aparece Índia. E se fôr 40, ou 42 vezes. O que aparece. Que conta fantástica.

Vejamos outro exemplo, "Jesus foi casado? Talvez não. E isso importa? Talvez sim". Eu estou perplexo com este título: Talvez sim? Talvez não?


vendredi 21 septembre 2012

samedi 15 septembre 2012

You don't choose the future, it chooses you.

Vous ne choisissez pas le futur, on choisit vous.

Ihr wählt nicht die Zukunft aus, sie wählt dich aus.

dimanche 9 septembre 2012

Limites servem para ser ultrapassados.
Obstáculos para serem desfeitos,
Crenças para serem anuladas.
Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.

Antoine Lavoisier.

samedi 8 septembre 2012

You are beautiful. Where are you?

Lisbon is so beautiful that it is a shame that it is being shreaded by capitalist historyless countries that are more interested in superfluous objects and oil than history heritage.  I hope the hills and old burroughs can sustain these heartless measures, and save us from this loom fate.

You are beautiful. Where are you?

mardi 4 septembre 2012

All work and no love makes Jack a sad boy.
All waiting and no answers makes it hurt a little more.

You know it's over, but sometimes we fall in love,
and no one will help to support your back, they're all gone.

Why you say the end is near, when you be in love, again,
If the moment is here, and now it's over. Why you're alone?

It's so easy to laugh, easy to be kind, and love is natural and real,
If you can feel, and gentle, why are you on your own tonight?

If you are so clever, why are you on your own tonight?
With your trophies and kind, why are you on your own? Goodbye

mercredi 29 août 2012

You are here not there

You are here not there,
for more interesting it seems,
you cannot live in dreams.

You are here not there,
the dirt in the Moon isn't yours,
the Earth is your friend.

You are here not there,
stay away from the holes,
they never pertained thee.

You are here not there,
for more boring it seems,
it's from here you must live in.

Is this the world that you described Mr. Aldous Huxley

"I'm so mediocre, that the pain of the others gives me pleasure. That's why I worship football, I read sport magazines, I go to hookers, I cheat my wife, I beat my children, I drive a fancy car and don't stop talking about it, I'm arrogant, I wear flashy sunglasses at night, I talk to people with sunglasses put on, I eat like a pig, I throw food to the trash, I spit to the ground, I don't help people, I abandon animals, I immerse in TV trivialities for hours, I laugh despicably about other's misery, I escape taxes, I blabber about everything, I fart, I think taking my wife to a five start hotel to fuck her is being romantic. I do all that to feel that I'm better than others, and my friends do the same. Am I behaving properly Mr. Aldous Huxley?"

lundi 27 août 2012

"Procrastinators are less wealthy, less healthy and less happy than those who don't delay." - who knows...

in BBC news

Believing That You Can Do It!

As the day of our competition nears,
Remember the smiles, forget the tears.

Remember the times we've spent together,
Cherish them now, cherish them forever.

Next year it will not be the same,
Some girls lost, some girls gained.

Doing the routine one more time,
To fix that motion and straighten that line.

We've had many falls and lots of tough breaks,
We took our chances but knew what was at stake.

We are all exhausted and ready to rest,
But first we must show the world who is best.

Regardless of what the judges criticize,
Remember they weren't there to realize,

We sweated, we ached, and we worked all the while,
And we hid all the pain with a convincing smile.

So show them now what we have worked for,
Give a little extra where there needs to be more.

Smile and know that we have finished the race,
Regardless of what we win or place.

By Jessica McDuffie

jeudi 23 août 2012

Upbeat, upbeat,
everybody loves to be upbeat,
that is the job of a ventriloquist,
just by speaking through its teeth.

Stomp, stomp,
that's the noise of dancing feet,
in a disco with the peers,
in resting time they peek.




'A' talks to 'B', 'C' talks to 'D',
my world is what I see,
what am I going to be?

The woes turn you more tender,
the time will make you slender,
one day you will surrender.

vendredi 17 août 2012

If I permeate love through lips,
they will whisper silence in flames,
joy in tears and a victory in dreams.

I will play a trump card, Judith,
and the knave won't kill my mind,
'cause you worth more tonight.

jeudi 16 août 2012

You don't know what love is

You don't know what love is
Til you’ve learned the meaning of the blues
Until you’ve loved a love you've had to lose
You don't know what love is

You don't know how lips hurt
Until you've kissed and had to pay the cost
Until you've flipped your heart and you have lost
You don't know what love is

Do you know how a lost heart fears
/The thought of reminiscing
And how lips that taste of tears
Lose their taste for kissing

You don't know how hearts burn
For love that cannot live yet never dies
Until you've faced each dawn with sleepless eyes
You don't know what love is

You don't know how hearts burn
For love that cannot live yet never dies
Until you've faced each dawn with sleepless eyes
You don't know what love is.

From Don Raye

mercredi 15 août 2012

The day won't kill the dreams,
The girls won't reap the will,
They will seed the means
for the heat continue still.

dimanche 12 août 2012

Guerra do Verão

Podes começar a guerra, meu irmão.
Podes começar a guerra, meu irmão.

Largar as bolas de berlim,
disparar os rebuçados,
porque a piscina acabou.

A mamã ordenou que arranjássemos,
porque tem que ir preparar o jantar,
e a hora do calor já passou.

E eu chateado pus a roupa,
e poupei-me a mais um mergulho,
e com a bóia meti-me no carro.

À noite as trégua levantaram-se,
porque o calor voltou e no meio da esplanada,
a mamã ofereceu-me um grande gelado.



samedi 11 août 2012

Lentamente o mar puxa

O buraco negro está mais forte
e me puxa p'ra fora da praia,
nado doido p'ra fugir à corrente
e para que o punho não me caia.

A maré afasta-me da maralha,
largo a mão aos sonhos de criança,
sem salvador a esticar-me a vida,
afundo cada vez mais a esperança.

E me dizem para abrandar,
mas os sonhos não dormem,
são a nossa alma a esbracejar
e o coração a bater.

Como vivo sem respirar,
se não tenho ninguém,
não tenho razões para festejar
por ter cumprido o dever.

vendredi 3 août 2012

O sonho

Quando dormes,
os problemas se apagam
o mar revolto acalma,
o vento silencia,
o movimento pára,
o espaço cristaliza,
a chuva pausa,
o tempo eterniza,
o sonho pousa
o perfeito no lugar certo.

Sociedade portuguesa

Se lermos as críticas à sociedade portuguesa feitas por Fernando Pessoa e Eça de Queiróz na altura, facilmente percebemos que certos hábitos portugueses nunca mudaram ao longo dos anos. As críticas do século XXI mantêm-se no século XIX. Portugal nunca mudou e nunca vai mudar.

Portugal proclama-se como uma República, mas a turma política comporta-se como vivessem numa monarquia absoluta. Certas pessoas julgam que o cargo que têm na Assembleia da República é para toda a vida, tal como um Rei e a sua corte. Basta ver como várias vezes o cargo de deputado é vitalício, ou serve de trampolim para cargos de administração acumulada. Quanto às regalias, elas são sempre acumuláveis. Se perguntarem se a pessoa tem competência para tal cargo, não devemos esquecer que os anos de experiência neste país dá o direito adquirido a ser Doutor em qualquer área. Isto chama-se provincianismo. Fernando Pessoa define exemplarmente o que é o provincianismo português. (ver link).

As auto-proclamadas élites nunca mudaram de comportamento. Basta ver que quando se inaugura um edifício, ou auto-estrada, rapidamente colocam uma placa (lápide, melhor dito) com o nome da sumidade para ver se o perpetua pelo tempo. Por exemplo, a placa colocada ao lado do Mosteiro dos Jerónimos. (O que o Vasco da Gama está a pensar neste momento?)

Os verdadeiros merecedores de uma medalha na actualidade são os que sobrevivem à calamidade da ingnomínia portuguesa e fazem perfeitos actos heróicos para pagarem a casa, não perderem o emprego ou comerem. Em suma, sobreviverem . Quanto a certas elites, um burro carregado de ouro continua a ser sempre um burro.

jeudi 2 août 2012

País árido, juventude sem rumo

Árido país, que até as pessoas vão-se embora,
e o que mais sobra são jumentos,
almas penadas paralíticas,
a vaguearam com cara de parvos.

O tempo passa e não se vê nada,
só deserto, areia e camelos
que os mouros deixaram das conquistas,
e nele os ideais foram soterrados.

Não sabem falar, múmias desorientadas
quanto mais conversar, ou escrever um diálogo,
estão sempre à espera que uma nota lhes caia na cabeça,
para poderem imitar o Cristiano Ronaldo.

Para disfarçar mostram-se arrogantes,
pequenos burgueses, filhos de cabeleireiras,
prenhos de televonelas, com barba ou sem ela,
mascarado por múltiplas bebedeiras.

E quem quer aprender vira estranho,
porque quis acrescentar algo para além do verbo,
consumidos por cerveja e burrice,
sabem criticar por detrás do suposto socialmente aceite.

Ao que resta da sabedoria, acaba por imitar o passado,
observam chocados os jovens cambaleantes,
sentam-se nas esplanadas cruzadas a observarem
porque ninguém já conversa com eles.

dimanche 22 juillet 2012

dimanche 15 juillet 2012

People prefer loose their freedom in change of money. We only have one life, but we loose it because of the fear.

vendredi 13 juillet 2012

Eu serei feliz quando estivermos sentados numa colina e compreender que a única coisa que quero da vida é estar ao teu lado e ouvir-te respirar. Nessa altura, desligarei o rádio, pararei de ouvir música, porque já não preciso de me enganar mais.

mercredi 11 juillet 2012

Dentro de mim

Sinto-me em casa
sentado contra a parede,
a viver dentro de mim.

Aqui o mundo é perfeito.
Sou mais feliz que muita gente.

Praia estendida na vista,
linha que se perde
com os meus pensamentos.

Música em ar rarefeito,
purifica o que está doente.

E assim alimento os dias
numa felicidade solteira,
e completo um ano perfeito.

O que está feito, está feito,
o passado nunca voltará ao presente.


dimanche 1 juillet 2012

Ida ao trabalho

Os corações estão apertados
nas horas de ponta
os elevadores estão sobrelotados
por uma memória incógnita.

As portas se abrem
nas paragens erradas
os vidros revelam
paisagens trocadas.

Deixas fugir a saída
por estares cansado de olhar.
tens a mesma pontaria
como tens quando jogas bilhar.

vendredi 29 juin 2012


It's funny to look to someone and from that a new remembrance start to appear. Doesn't matter if it's a good, or a bad recall, you just were triggered by someone that you don't know that looks similar to someone you once met. From that face, your brain starts to unravel several dreams and your heart suffers the consequences. If you'd a bad recall, it means that you were on the wrong side of the history, and you aren't now. If it's a good recall, you lost someone that you liked due to life.

Life is a sum of small episodes, and everybody got the good and bad ones. I just hope that you just rested the bad ones, and have the good ones close to your heart.

jeudi 14 juin 2012

It's funny to think that people are busier than I, but in reality are as boring as I.

vendredi 8 juin 2012

To see a world in a grain of sand
Or a heaven in a wild flower,
Hold infinity in the palm of your hand
And eternity in an hour.

by William Blake(1757-1827)

mercredi 30 mai 2012

Despedida a um brasileiro

Nos teus olhos eu não vejo o Brasil,
vejo uma pessoa, como eu, como outro qualquer,
lembras-me que o interior não tem casa,
o que é nosso brilha em qualquer sítio.

Fisicamente separados por água,
próximos pelo passado convívio,
a distância não apaga memórias,
encontramo-nas acima do céu,
para além infinito.

dimanche 27 mai 2012

Every form of art teaches us how to live wisely. You're art. Marry me, and I'll marry you. Love me, kiss me, kill me.

mardi 22 mai 2012

"Choose your enemies carefully ‘cos they will define you
Make them interesting ‘cos in some ways they will mind you
They’re not there in the beginning but when your story ends
Gonna last with you longer than your friends."

 in Cedars from Lebanon - U2

vendredi 18 mai 2012

Après moi

Be afraid of the lame, they'll inherit your legs
Be afraid of the old, they'll inherit your souls
Be afraid of the cold, they'll inherit your blood
Après moi, le deluge, after me comes the flood.

from Regina Spektor

jeudi 17 mai 2012

Love, you're a whore

Muitas vezes questionei-me porque não sou músico, se eu não vivo sem música. A resposta é que ela não me põe a comida no prato. Por isso, és uma puta! Desgraças-me, e continuo a amar-te.

mardi 15 mai 2012

Opressão

Ao teu corpo relançeio-te,
por entre saias, amanhece,
plantas a flôr ao teu amo,
e o meu coração apodrece.

A sopa da panela,
esfria-se no meu palato,
que sorva-me o reflexo,
e deixa-me mal humorado.

Da janelo te observo,
e masturbo-me com cuidado,
por não te ter ao meu lado.

E a minha alma carcomida,
por larvas das janelas,
tira-me as forças para o salto.

Émulos


Foi como amor aquilo que fizemos
sem manhã sujeitos ao presente;
os dois carentes
foi logro aceite quando nos fodemos.

Foi circo ou cerco, gesto ou estilo
o termos juntos
sexo com ternura
Foi candura
num clima de aparato e de sigilo

Se virmos bem
ninguém foi iludido
de que era a coisa em si – só o placebo
com algum excesso
com algum excesso que acelera a líbido.

E eu palavrosa, injusta desconcebo
o zelo de que nada fosse dito
e quanto quis
e quanto quis tocar em estado líquido.

Foi circo ou cerco, gesto ou estilo
num clima de aparato e de sigilo
Foi circo ou cerco, gesto ou estilo
num clima de aparato e de sigilo
Foi como amor aquilo que fizemos
os dois carentes
foi logro aceite quando nos fodemos.

from A Naifa

jeudi 3 mai 2012

"- Why don't you like me?" - she said.
"- Because you're an easy person that loves money to live. You constantly say that, if someone takes you in
vacation to an island, you're completely conquered." - he leans his head, raise his eyes, lower his tone, and point the finger to her, saying: "- You're an easy person. I don't like easy persons. You're my opposite. Forget it."
In a sudden change of conscience, she said: "- I'm so in love with you, let's go to bed!"
From that moment, the guy didn't get, and to not ruin his character, he lowered the hammer of consciousness on her.

(...)

The little feather of dust fall gently to the ground. A moment of serenity invades me. I feel like a criminal that is obsessed with stillness, and in a moment where the time has frozen, my soul rises to the air. My body kept breathing, but I'm out of it , and I start to gently swim through the oxygen like a whale in the ocean. I swim to nowhere, and I feel free in my dreams. I shout like a kid: "I'm free! Finally, I'm free!" Feeling like a champion, I crawl, or swim backwards. Doesn't matter that I'm sleeping. I'm free.
What the world needs is lucidity and sanity to understand that consuming behaviour won't help anyone. The tendency to see the world as a set of brands that people spend all the money, is perverse. People that see the world like that are ill, although they hadn't noticed.

People can rebut that it's normal. The best definition of normality, is having the same disease as the majority of people. Even if a majority approves killing acts, it always be wrong. If majority of people are afraid of living and restrain to the power of money, it is still wrong. People need to stop being restrained and subject to the monetary law. People just need to let life bless themselves.

People are free without the money. If you don't stop being greedy, you will get crazy. People need to stop being afraid of dying poor, or becoming homeless. We are blessed with life when we're surrounded by trees, animal, the sun, the moon, oceans, love. Don't be afraid of the death. Death is the prolongation of life. Don't be afraid of anything, just be yourself. Please forget the purpose of the money and you will be happy. You can continue using money, just don't constrain yourself to his power. Just don't commit excesses. Just reject credits. If you overdo it, money will kill you.

Don't be afraid to say to the person you love, I love you. Everyone loves to be loved. Why we should restrain ourselves to do what everyone would love to hear? Why we should judge anyone that says to you, I love you, as a clingy person? That person cannot be clingy. Maybe that person just really knows that he loves you.

If anyone points me the finger saying that I'm a dreamy and crazy one, I just reply that I'm happy, even being alone in this world.

Be happy. Once and for all, be happy, and say to your partner, I love you.


Motion Picture Soundtrack

"Red wine and sleeping pills
Help me get back to your arms
Cheap sex and sad films
Help me get where I belong

I think you're crazy, maybe
I think you're crazy, maybe

Stop sending letters
Letters always get burned
It's not like the movies
They fed us on little white lies

I think you're crazy, maybe
I think you're crazy, maybe

I will see you in the next life

Beautiful angel
Pulled apart at birth
Limbless and helpless
I can't even recognize you

I think you're crazy, maybe

I will see you in the next life"

from Radiohead

dimanche 29 avril 2012

Estranho amor,
estranha vida,
estranho algo
que está acontecer.
Estranha a dôr,
estranha azia,
de ter engolido
o que tinha para te dizer.
Bando de palmadores
entram no 28,
atrás do dinheiro dos turistas,
polícias à paisana
vão no encalço
destes carteiristas.
Reparam, mal disfarçam,
na próxima paragem
põem-se na alheta,
apanham-nos no fim da rua,
metem-nos nos carro,
para depois levarem na corneta.

Zé Naifas assalta,
alguém esbaforido grita,
"Agarra que é  ladrão!",
gera-se um corropio,
a judite passa a correr,
tudo isto da janela
do restaurante
aonde estou a comer.
Quatro horas de homília,
por néscios de ecrã,
assim se enche o dia
com cultura vã.

Poema com domicílio/ Questão da noite

Esta apólice, o vizinho de cima,
a puxar o autoclismo,
a bater na mulher e nos filhos.

A água da torneira com cheiro a lexivia,
sempre a pingar,
o televisor com uma avaria.

Talvez o canteiro das flores,
sujas e maltratadas,
estas zangas por tudo e por nada.

Questão da noite
do programa que acontece
em Portugal, neste fim de século,
navegar é preciso ?
resposta:
se morar no Barreiro, sim.

From "A Naifa "

Sedução/Almirante Reis

No extremo oposto à minha janela,
está um homem em biquini de mulher,
de pele com uma côr bizarra,
espanto-me com o que está a acontecer.

Em poses de extrema sedução,
conversa com um parceiro,
a estranheza não deixa de ser atracção
que se mostra numa impostura de deleite.

Deitados sobre esteiras estendidas,
não identifico o palavreiro,
não param de arejar o entre-pernas,
isto irá acabar em algo muito estranho.

É é preciso ter .

Estranho Domingo, estranha rua,
onde o incomum convive diariamente,
motivos de escrita, aqui não falta,
e ainda nos oferecem gratuitamente.



vendredi 27 avril 2012

Sentimos a falta de Miguel Portas

É inegável e estranha a dôr que Miguel Portas deixa na sociedade. Esta dôr não cobre partidos políticos, ou preferências partidárias. A partida prematura de Miguel Portas deixa uma brecha na democracia portuguesa impossível de se fechar.

Não se tratava de uma pessoa explorada pelas televisões. Poucas pessoas sabem e estão interessadas pelo o que fez. Era apenas uma pessoa de esquerda. Talvez o espírito português que é normalmente esquerdista, manifeste-se involutariamente, e as pessoas se sintam comovidas por isso.

Miguel Portas foi um grande ícone. Apenas nos resta Paulo Portas, que será o próximo ícone da política portuguesa.

A Estrela d'alva acompanhou Miguel Portas até ao último dia.

Estrela d'alva

Dorme meu menino a estrela d'alva
Já a procurei e não a vi
Se ela não vier de madrugada
Outra que eu souber será p'ra ti

Outra que eu souber na noite escura
Sobre o teu sorriso de encantar
Ouvirás cantando nas alturas
Trovas e cantigas de embalar

Trovas e cantigas muito belas
Afina a garganta meu cantor
Quando a luz se apaga nas janelas
Perde a estrela d'alva o seu fulgor

Perde a estrela d'alva pequenina
Se outra não vier para a render
Dorme qu'inda a noite é uma menina
Deixa-a vir também adormecer

from Zeca Afonso

Exercício

Abriu porta do quarto num movimento rápido e entrou. Encolhi-me de repente, e tapei-me com os lençóis. Não é comum ele chegar a casa a esta hora. Perguntei-lhe o que se passava? Qual a razão de ter chegado tão cedo? Ao mesmo tempo, tentei utilizar o pensamento lógico que me foi dado e mascarei-me com uma cara séria. Mas sabia que estava em apuros.

Estava cansado de tudo. Há dias em que nada corre bem, e tudo é feito com a ajuda da paciência. Vou aproveitar esta oportunidade, e vou mais cedo para casa para descansar. Rapidamente meti-me no metro, entrei no prédio, entrei em casa. Atirei o casaco para sofá, larguei a mala. "Estou farto", pensei. "Vou para o quarto deitar-me e descansar".

No meio desta loucura, finalmente sentia-me um herói por ter chegado aqui. Tudo muda num ápice, quando ouço um barulho e ela empurra-me para debaixo da cama. Não tive tempo de perceber o que se passava. O meu coração acelerou. Todo o sentimento de sucesso esfumou-se e tinha-me tornado numa pessoa igual a qualquer outra que tinha sido apanhado pelo imprevisto. A frase "neste momento estou metido em sarilhos", cresceu de tamanho e apoderou-se de mim. Quando a porta abriu-se o meu cérebro desligou. Um homem entrou no quarto, e entrei em modo de sobrevivência.




mardi 17 avril 2012

"This is Hardcore
there is no way back for you.
This is Hardcore
this is me on top of you,
I can't believe that it took me this long."

 from Pulp in "This is hardcore"

samedi 7 avril 2012

Sofia Vitória - Que cantora

No dia 5/4/2012 fui assistir ao concerto dado por um quarteto composto por  Sofia Vitória (Voz), Júlio Resende (Piano), João Custódio (Contrabaixo) e Bruno Pedroso (Bateria) no bar OndaJazz. Como o nome do bar indicia, foi um concerto em que tocaram músicas de Jazz, também tocaram algumas músicas brasileiras e Zeca Afonso, sempre com uma cobertura doce de Jazz.

Há muito tempo que queria ouvir Sofia Vitória cantar, e finalmente consegui. Ainda bem que fui vê-la. A voz que detém é dona de uma miríade de cores, versátil e pujante. Trata-se de uma voz pura que facilmente faz qualquer sonhador embarcar num mundo de surpresas agradáveis. Existem alturas, que parece que estão dois ou três cantores a cantarem a mesma canção alternadamente, devido às diferentes maneiras como começa cada secção. Considero-a uma cantora impressionante e merecível de um reconhecimento digno.

Urjo para que a Sofia Vitória tenha mais oportunidades de se apresentar em grandes espectáculos. Tenho pena de não ter a capacidade para promover espectáculos, porque se fosse por minha vontade, existiria muitas oportunidades para podermos vê-la a cantar.

O piano, tocado por Julio Resende, mostrou em certos momentos uma qualidade equivalente à voz da cantora. Eu bem me recordo, como certos solos me fizeram fechar os olhos e suspirar.

No geral, o quarteto apresentado é bastante bom e passei um excelente momento a ouvi-los. Fico à espera do próximo concerto em Lisboa.

Para quem não acredita no que digo, ouçam bem como Sofia Vitória canta a música Beatriz escrita por Chico Buarque.


Circuladô de fulô

"Circuladô de fulô,
ao deus ao demo dará,
que deus te guie
porque eu não posso guiá,
eviva quem já me deu,
circuladô de fulô
e ainda quem falta me dá"

Circuladô de Fulô
de Caetano Veloso


vendredi 6 avril 2012

Um homem escolhe uma mulher com a mesma pontaria quando urina de pé para a sanita...

Chuvas de Abril

As chuvas de Abril chegaram,
acompanhado do chilrear dos estorninhos,
ao som do carpir dos campos de madressilva,
está na hora de se ir buscar o vinho,
levar o pão para a mesa,
comer bacalhau com batata cozida.

Ir às colmeias buscar o mel,
espalhar as folhas sobre a esteira,
abrir as janelas para entrar a luz,
arear a rotina de mais um ano,
pôr as amêndoas e nota sobre a mesa,
cumprimentar o padre, beijar a cruz.

Coscuvilhamos a vida do relativo,
comparamos com a nossa,
a felicidade que renasce sem motivo,
a esperança vã que volta a brotar,
a alegria de estarmos juntos,
e termos um família para contemplar.

A derradeira batalha

Porque é que eu não posso amar a Ana, a Sofia, a Mariana, a Anabela, a Paula, a Teresa, a Susana, se todas elas são belas. Até a mulher mais feia, não deixa de ser bela. Bela Ana, bela Sofia, bela o resto, bela a peixeira que mostra uma virilidade masculina, bela a jardineira que mostra sentimentos de protecção, bela a vendedora de chás que mostra a preocupação pelos outros, bela a naturista que se identifica com a mãe natureza.

A beleza nasce com a mulher, nasce dentro do ventre da mãe. Ninguém sabe em que ano a beleza nasceu, mas ela procria-se silenciosamente por cada menina que nasce.

Já estou cansado do elogio à beleza por si só, sem qualquer contexto, mas eu preciso vê-la diariamente. Sem ela, eu estava louco, entediado, com tremuras de frio, e ataques de pânico. A beleza é um elemento vital para mim, tal como dormir. O dia em que não reconheça mais a beleza, é como dizer que nunca mais dormi, e lentamente morrerei.

Os supostos intelectuais que cruzam a pernas e contorcem-se nas cadeiras, distinguem a beleza da estética. A mulher não é estética, é cruelmente bela, tal como a natureza.  Quem não tem desejos selvagens de ser envolvido num turbilhão de beleza. Que belas pernas, que belas costas, que bela face, que belo cú, todas estas descrições selvagens vêm dos seres mais selvagens e rudes que existem, e rapidamente poluem a mente agressiva e guerreira do homem.

Nestes tempos modernos, somos Vikings sedentos de mulher, sedentos de beleza. Já não se conquista países. A derradeira batalha é conquistar uma mulher.






À plena voz

De uma voz colorida e solta como uma criança,
salta à corda por entre riscas do arco-íris,
é demasiada força numa só mão,
não estava pronto p'ra ouvir.
Suave, belo e completo.
Não existe mais nada a pedir,
a beleza oferece-se à contemplação,
só tenho pena de não a ter ao pé de mim,
para poder ouvir quando quero em suave abastança.

lundi 2 avril 2012

Amanhã

Quando vou falar contigo?
amanhã, amanhã.
Quando me torno teu amigo?
amanhã, amanhã.
Quando vou ouvir a tua voz?
amanhã, amanhã.
Quando de mim nasce um nós?
amanhã, amanhã.
Quando te vou conhecer?
amanhã, amanhã.
Quando te vou ver ao amanhecer?
amanhã, amanhã.
Quando vais dizer que sim?
- Quando o sol acordar.
amanhã, amanhã.
Se me convidasses para sair,
eu diria hoje,
mas o sonho não se realiza,
não sei quando vou sorrir,
talvez amanhã, amanhã.

mercredi 28 mars 2012

"Mamã, mamã, onde estás tu mamã? Nós sem ti não sabemos mamã, libertarmos do mal"

in Canção de Lisboa de Jorge Palma

jeudi 2 février 2012

The good is silent, and the evil is rather noisy
If you want to judge someone or something,
do it with your heart, and not with eyes and hears.

The truth is silent, the love doesn't speak,
we feel that they are important,
when we can't live without them.

samedi 7 janvier 2012

Morrer é o comportamento mais altruísta que existe. E às vezes faz cá um bem à humanidade, que nem imaginam.